Divulgação Científica
Artigos e Publicações

Neste estudo os autores investigaram a quantidade de elementos traço essenciais e tóxicos que são transferidas das fêmeas grávidas para os embriões do tubarão canejo capturados na costa amazônica, e também como é a dinâmica do suprimento nutricional entre mães e filhotes durante a gestação.

Estudo sobre a Pesca e etnoecogia da pescada amarela - Cynoscion acoupa 
(Lacèpede, 1801) na Costa Norte do Brasil, é destaque!

 

A grande quantidade de embarcações que utilizam apetrechos de maior extensão e tecnologias para captura de pescada amarela para atendimento ao mercado consumidor, com alto valor comercial, tem concorrido para a sobrepesca da espécie. Fato que, segundo relato da pesquisa realizada por doutorando PPGEAP com donos de embarcações, encarregados e pescadores, tem contribuído para a redução nos estoques pesqueiros. Em pesquisa etnoecológica com 240 atores dessa pesca, conseguiu-se identificar o tamanho das embarcações envolvidas, artes e locais de pesca, período de safra e de desova, fauna acompanhante, formas de negociação e possível período de defeso para a espécie. Os resultados obtidos são importantes para auxiliar gestores na tomada de decisão.

Trabalho completo publicado na revista internacional “Marine Policy” você encontra aqui:, Para saber mais acesse o link: 

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0308597X19302593?via%3Dihub

 

Owaldo Júnior
Doutor PPGEAP - NEAP 

Diversidade de peixes da maior formação deltaica das Américas - uma descrição da fauna de peixes do Delta do Parnaíba usando o código de barras DNA, Para saber mais acesse o link: https://doi.org/10.1080/00222933.2019.1582814 

 

O delta do rio Parnaíba (PRD) no nordeste do Brasil é considerado a maior formação deltaica das Américas e é a terceira maior do mundo, depois do delta do Nilo na África e do delta do Mekong na Ásia. O Delta do Parnaíba abrange 85 ilhas em uma área de 2.700 km 2 , que inclui uma variedade de ecossistemas, como manguezais, salinas e praias arenosas, que sustentam uma biota rica, mas ainda pouco conhecida

Artigo publicado na  revista Scientific Report

 

Relação biométrica entre tamanho coporal e tamanho de otólito em 15 espécies de peixes marinhos demersais da costa norte do Brasil, Para saber mais acesse o link: https://doi.org/10.1080/00222933.2019.1582814 

 

As relações entre o tamanho do peixe e as medidas do otólito de sagitta foram calculadas pela primeira vez para 15 espécies pertencentes a seis famílias do litoral norte do Brasil. Foram amostrados 220 peixes da captura acessória desembarcada pela frota industrial de pesca de camarão com arrasto de fundo entre agosto e setembro de 2016. Todas as espécies tiveram fortes relações entre as medições de otólitos e o comprimento total dos peixes com o coeficiente de determinação ( r 2 ) variando entre 0,71 e 0,99. A variável mais fortemente relacionada ao comprimento total dos peixes foi o comprimento do otólito sagital (OL) com 98% da variabilidade. Essas relações são uma ferramenta útil para estimar o comprimento e a massa de peixes predados a partir de otólitos encontrados no conteúdo estomacal de predadores marinhos.

Artigo publicado na  revista Acta Amazonica

Rory Sena
Doutorando PPGEAP -  NEAP 

LUZ, E. O. ; OLIVEIRA, A. F. ; PRESTES, L. ; OLIVEIRA, N. I. S. ; PERRONE, E. L. ; BEZERRA, R. M. ; FLORENTINO, A.C. . Analysis of inorganic contaminants in Hoplias aimara Valenciennes 1846 (Trairão) explored by the fishing activity in the high Rio Araguari, Amapá, Brazil. CIÊNCIA E NATURA, v. 42, p. 2, 2019. 

 

O presente estudo teve como objetivo avaliar a concentração de contaminantes inorgânicos na espécie Hoplias aimara Valenciennes 1846, procedente do alto rio Araguari. A concentração média presente nas amostras da musculatura da espécie analisada para os metais cádmio (Cd), cromo (Cr), cobre (Cu), chumbo (Pb), zinco (Zn) e cobalto (Co) não ultrapassaram os limites estabelecidos pela legislação Brasileira. 

Pescador do rio Araguari

com exemplar de Trairão Hopliasaimara 

sendo comercializado

Luiza Prestes de Oliveira
Aluna do PPGEAP/UFPA

OLIVEIRA, MARCOS SIDNEY B. ; CORRÊA, LINCOLN L. ; GONÇALVES, RAISSA A. ; NEVES, LÍGIA R. ; Prestes, Luiza ; FERREIRA, DRIELLY O. ; TAVARES-DIAS, MARCOS . New records of crustaceans infesting Phractocephalus hemioliopterus (Siluriformes: Pimelodidae), the large catfish from the Amazon. Revista Mexicana de Biodiversidad, v. 90, p. 1, 2019. 

O objetivo do presente estudo foi investigar as infracomunidades de crustáceos ectoparasitários em Phractocephalus hemioliopterus Bloch e Schneider, 1801, no baixo rio Amazonas, no estado do Pará, região oriental da Amazônia, Brasil. Dos 12 hospedeiros examinados, foram encontrados 45 espécimes de ectoparasitos de crustáceos de 5 espécies no tegumento, cavidade oral ou barbatana dorsal. As espécies foram: Argulus multicolor, Argulus violaceus, Dolops nana, Dolops discoidalis e Braga patagonica. Dolops discoidalis foi o ectoparasita dominante, enquanto D. nana apresentou a maior intensidade média no tegumento, que foi o local hospedeiro mais infestado. Este é o primeiro registro de A. multicolor, A. violaceus, D. nana e B. patagonica, parasitando P. hemioliopterus.

Localização geográfica da área de coleta de Phractocephalus hemioliopterus no baixo rio Amazonas, estado do Pará, Brasil.

Luiza Prestes de Oliveira
Aluna do PPGEAP/UFPA

O desenvolvimento larval do camarão-da-Amazônia depende da integridade de hábitat. A pesquisa de trabalho de conclusão de curso de graduação desenvolvida pela Mestra Miani Corrêa Quaresma foi publicada em março de 2019 na revista internacional Journal of Natural History. O estudo desenvolvido por Miani foi pioneiro em relação à estimar a densidade dos estágios larvais do camarão-da-Amazônia, Macrobrachium amazonicum, em canais-de-maré com diferentes níveis de exposição a atividades humanas. Ela comprovou que a desova da espécie ocorre próxima aos canais e que as larvas de camarão não sobrevivem em ambiente com maior influência antrópica. 

Larvas de camarão de Macrobrachium amazonicum (Decapoda, Palaemonidae) em riachos oligohalinos contaminados no estuário da Amazônia Prawn larvae of Macrobrachium amazonicum (Decapoda, Palaemonidae) in contaminated oligohaline creeks on the Amazon estuary, Journal of Natural History, 53:3-4, 209-219, Para saber mais acesse o link: https://doi.org/10.1080/00222933.2019.1582814 

 

Artigo publicado na revista Journal of Natural History

 

Miani Corrêa Quaresma 
Mestra NEAP - UFPA

O discente de mestrado do PPGEAP UFPA, Jefferson Willian, com a ajuda de custo do PRO-DISCENTE CAPES, participou do Aquaciência 2018, realizado entre os dias 17 e 21 de setembro, na cidade de Natal-RN. O Aquaciência é um evento técnico científico que reúne os principais expoentes da aquicultura nacional, e nesta edição premiou os dois trabalhos científicos apresentados por Jefferson, em co-autoria com seus orientadores Drs. Marcelo Costa Andrade e Tommaso Giarrizzo. O prêmio como melhores trabalhos (Forma Pôster) na categoria Estudantes de Pós Graduação e outros (Professores e pesquisadores da área) foi entregue ao discente pela comissão científica do evento.

Jefferson Willian Silveira
Aluno do PPGEAP/UFPA

Coastal fish assemblages reflect marine habitat connectivity and ontogenetic shifts in an estuary-bay-continental shelf gradient. Authors: José Amorim Reis-Filho (co-orientador), Kurt Schmid (doutorando PPGEAP), Euan Harvey (Curtin University, Australia), Tommaso Giarrizzo (orientador PPGEAP). DOI: 10.1016/j.marenvres.2019.05.004. Financiado pela CAPES, CNPq e Projeto Meros do Brasil.

A pesquisa publicada pelo doutorando do PPGEAP UFPA, Kurt Schmid, analisou as associações peixe-habitat na Baía de Todos os Santos (BTS) no estado da Bahia. Trata-se do primeiro estudo com o método não-invasivo de vídeo subaquática BRUV (Baited Remote Underwater Video) em um ecossistema estuarino no Brasil. Os resultados confirmam que a estrutura e composição da íctiofauna são mediadas por um arranjo de características de hábitats, formando um mosáico ecológico na BTS. Além de poucas espécies generalistas, amplamente distribuidas, e um grande número de especialistas de hábitat, certos peixes como Lutjanus jocu, Lutjanus synagris, Carangoides bartholomaei, entre outras, passam por mudanças ontogenéticas entre hábitats e através dos ecossistemas. 

O estudo tem importantes implicações para conservação e monitoramento de assembleias de peixes, destacando o papel fundamental da conectividade de hábitats marinhos como prioridade de conservação.

Kurt Schmid
Aluno do PPGEAP/UFPA

 Oliveira, M.S.B.; Silva, L.M.A.; Prestes, L.; Tavares-Dias, M. 2020. Length-weight relationship and condition factor for twelve fish species from
the Igarapé Fortaleza basin, a small tributary of the Amazonas River estuary . Acta Amazonica 50: XX-XX. 

Os dados de comprimento e peso são úteis na gestão da pesca e resultados padrão dos programas de monitoramento de peixes. A relação peso-comprimento (RPC) é usada para estimar o peso correspondente a um determinado comprimento e o fator de condição é usado para comparar a condição corporal, gordura ou saúde de populações de peixes. O objetivo deste estudo foi estimar a RPC e o fator de condição para 12 espécies de peixes de água doce da bacia do Igarapé Fortaleza, um afluente do sistema do Rio Amazonas no estado do Amapá, na Amazônia oriental brasileira. 

Localização geográfica da área de coleta

bacia do Igarapé Fortaleza, um pequeno afluente do estuário do rio Amazonas.

O coeficiente de determinação, o fator de condição alométrico e o coeficiente alométrico variaram entre espécies, e foram comparados com populações de outras localidades. Para 83,3% das espécies, os valores do coeficiente alométrico estavam dentro da faixa esperada. Este foi o primeiro registro de parâmetros de RPC para Acestrorhynchus falcirostris.

Luiza Prestes de Oliveira
Aluna do PPGEAP/UFPA

PRESTES, L.; OLIVEIRA, M. S. B. ; TAVARES-DIAS, M. ; SOARES, M. G. M. ; CUNHA, F. C. . Length-weight relationship and condition factor of eight fish species from the upper Araguari River, State of Amapá, Brazil. ACTA SCIENTIARUM. BIOLOGICAL SCIENCES (ONLINE), v. 41, p. 1-6, 2019. 

 

O presente estudo estimou parâmetros da relação comprimento-peso (LWR) e fator de condição alométrica para oito espécies de peixes do alto rio Araguari, no Amapá, Brasil.  Esta é a primeira estimativa da relação comprimento/peso dos peixes do rio Araguari e o primeiro registro desses parâmetros para Myloplus ternetzi e Tometes trilobatus. 

Luiza Prestes de Oliveira
Aluna do PPGEAP/UFPA

Population structure and fecundity of Scyllarides delfosi Holthuis, 1960 (Scyllaridae) on the Amazon continental shelf. Authors: Francielly A. Lima (doutoranda PPGEAP), Jussara M. Martinelli-Lemos (orientadora) et al. (2018). DOI: 10.1163/15685403-00003783. Financiado pelo CEPNOR/ICMBio 

A doutoranda do PPGEAP UFPA, Francielly Alcantara de Lima, publicou recentemente seu trabalho de conclusão de curso de graduação pela UFRA. A pesquisa analisa um intervalo de 10 anos de dados de captura da lagosta sapateira Scyllarides delfosi no Norte do Brasil, espécie considerada um importante recurso capturado pela frota pesqueira que atua na pesca da lagosta vermelha, Panulirus argus westonii. Apesar do potencial econômico desta espécie, informações sobre seus aspectos biológicos e pesqueiros eram inexistentes. O trabalho da Francielly investigou pela primeira vez a estrutura populacional, e estimou a fecundidade e o tamanho dos ovos de S. delfosi. Lagostas de variados tamanhos foram capturadas pela frota pesqueira, principalmente juvenis. Uma importante descoberta é a constatação de diminuição de 7 mm no comprimento médio total destas lagostas, comprovando que a pesca de Panulirus (lagosta alvo principal da pesca comercial) impacta negativamente na população da lagosta sapateira.

Panulirus argus westonii

O estudo comprova a importância do investimento em pesquisas voltadas ao ciclo de vida, reprodução e crescimento de S. delfosi, a fim de fornecer o suporte necessário à exploração sustentável e à preservação da espécie, que no litoral norte brasileiro é tratada como fauna acompanhante, e como tal, não existem políticas públicas adequadas ao manejo.

Francielly Alcantara de lima 
Aluna do PPGEAP/UFPA

01/19 - 01/23

De:

$550

01/19 - 01/23

De:

$399

01/19 - 01/23

De:

$499

Biologia pesqueira e dinâmica populacional de quatro espécies de peixes em um reservatório da Amazônia

A Gestão Pesqueira necessita das informações básicas que são fornecidas pelas avaliações dos estoques pesqueiros, que levam em conta os processos de Dinâmica Populacional e Biologia Pesqueira. A contínua interferência das atividades humanas nos sistemas aquáticos continentais resulta em impactos diretos e indiretos, com consequências para a qualidade da água, a biota aquática e o funcionamento de lagos, rios e represas. A construção de reservatórios hidrelétricos é uma dessas atividades e produz alterações qualitativas e quantitativas que passam por inúmeras variações na produtividade e mudanças estruturais e funcionais do sistema. Neste contexto, a Usina Hidrelétrica (UHE) de Tucuruí relativamente adquiriu importância por ter sido o primeiro grande barramento realizado na Amazônia, na década de 80, apresentando resultados técnicos/econômicos (produção de energia elétrica) suficientemente importantes para justificar uma análise cuidadosa das relações entre os benefícios produzidos e os elevados custos ambientais associados ao empreendimento. Como Objetivo Geral, deste estudo, é avaliar o impacto da UHE Tucuruí sobre a Biologia Pesqueira e a Dinâmica Populacional do Botinho (Hassar wilderi, Doradidae - Kindle, 1895), o Mandubé (Ageneiosus ucayalensis, Auchenipteridae - Castelnau, 1855), a Sardinha Papuda (Triportheus trifurcatus, Characidae - Castelnau, 1855) e a Uéua Cachorrinho (Acestrorhynchus falcirostris - Cuvier, 1819). Como Objetivos Específicos, do trabalho, era determinar a composição e a frequência das capturas (medidas de tendência central e dispersão), do comprimento (total e padrão), peso e sexo; determinar relação peso-comprimento, fator de condição e proporção sexual; estimar parâmetros de crescimento (K e L∞), idade inicial e de primeira maturação, mortalidades (total, pesca e natural), longevidade, índice de desempenho do crescimento e taxa de explotação (E); determinar as curvas de seletividade das redes utilizados no experimento; determinar as curvas de crescimento; estimar modelos de rendimento por recruta; propor estratégias para o manejo das espécies. A escolha das espécies foi devido a terem taxonomias distintas e serem representativas nas amostragens das pescarias experimentas da equipe do Programa de Pesca e Ictiofauna da ELETRONORTE, além de não haver muitas informações biológicas das espécies. Assim, os dados do estudo provêm destas pescarias subsidiadas pela ELETRONORTE, abrangendo a região de influência da usina, sendo esta seccionada em Montante, Reservatório e Jusante e relacionando o período entre os anos de 2000 a 2010. Como Hipótese, deste trabalho, pretendesse expor em quais regiões o barramento causado pela UHE Tucuruí influenciou os aspectos da Dinâmica Populacional e da Biologia Pesqueira das espécies estudadas.

Biologia pesqueira e dinâmica populacional de quatro espécies de peixes em um reservatório da Amazônia

A Gestão Pesqueira necessita das informações básicas que são fornecidas pelas avaliações dos estoques pesqueiros, que levam em conta os processos de Dinâmica Populacional e Biologia Pesqueira. A contínua interferência das atividades humanas nos sistemas aquáticos continentais resulta em impactos diretos e indiretos, com consequências para a qualidade da água, a biota aquática e o funcionamento de lagos, rios e represas. A construção de reservatórios hidrelétricos é uma dessas atividades e produz alterações qualitativas e quantitativas que passam por inúmeras variações na produtividade e mudanças estruturais e funcionais do sistema. Neste contexto, a Usina Hidrelétrica (UHE) de Tucuruí relativamente adquiriu importância por ter sido o primeiro grande barramento realizado na Amazônia, na década de 80, apresentando resultados técnicos/econômicos (produção de energia elétrica) suficientemente importantes para justificar uma análise cuidadosa das relações entre os benefícios produzidos e os elevados custos ambientais associados ao empreendimento. Como Objetivo Geral, deste estudo, é avaliar o impacto da UHE Tucuruí sobre a Biologia Pesqueira e a Dinâmica Populacional do Botinho (Hassar wilderi, Doradidae - Kindle, 1895), o Mandubé (Ageneiosus ucayalensis, Auchenipteridae - Castelnau, 1855), a Sardinha Papuda (Triportheus trifurcatus, Characidae - Castelnau, 1855) e a Uéua Cachorrinho (Acestrorhynchus falcirostris - Cuvier, 1819). Como Objetivos Específicos, do trabalho, era determinar a composição e a frequência das capturas (medidas de tendência central e dispersão), do comprimento (total e padrão), peso e sexo; determinar relação peso-comprimento, fator de condição e proporção sexual; estimar parâmetros de crescimento (K e L∞), idade inicial e de primeira maturação, mortalidades (total, pesca e natural), longevidade, índice de desempenho do crescimento e taxa de explotação (E); determinar as curvas de seletividade das redes utilizados no experimento; determinar as curvas de crescimento; estimar modelos de rendimento por recruta; propor estratégias para o manejo das espécies. A escolha das espécies foi devido a terem taxonomias distintas e serem representativas nas amostragens das pescarias experimentas da equipe do Programa de Pesca e Ictiofauna da ELETRONORTE, além de não haver muitas informações biológicas das espécies. Assim, os dados do estudo provêm destas pescarias subsidiadas pela ELETRONORTE, abrangendo a região de influência da usina, sendo esta seccionada em Montante, Reservatório e Jusante e relacionando o período entre os anos de 2000 a 2010. Como Hipótese, deste trabalho, pretendesse expor em quais regiões o barramento causado pela UHE Tucuruí influenciou os aspectos da Dinâmica Populacional e da Biologia Pesqueira das espécies estudadas.

Fabio Alexandre Travassos

Aluno PPGEAP/UFPA 

Serviços

Redes Sociais

Avenida Perimetral, 2651 - Montese. CEP  66077-530. Belém - Pará - Brasil  

Núcleo de Ecologia Aquática e Pesca da Amazônia - NEAP - UFPA

brasil2.png
logo-acesso-a-informacao.png